Conteúdo jurídico

Fachada de Escritório de Advocacia: o que você precisa saber

As fachadas fazem parte de todo empreendimento e não seria diferente para os advogados. Por isso, criamos um guia completo sobre fachada de escritório de advocacia para te auxiliar na confecção da mesma, confira abaixo!

Por que investir em uma Fachada de Escritório de Advocacia?

Primeiramente, precisamos frisar a importância de uma boa fachada para a imagem que o Advogado deseja passar: profissionalismo, zelo e preocupação.

Parece bobo e subjetivo, mas não é.

Isso porque os detalhes são fundamentais e são os responsáveis por diferenciar o Advogado no mercado.

E um desses detalhes é, com toda a certeza, uma boa fachada de escritório de advocacia.

É por ela que o possível cliente pode ter a primeira impressão sobre você, podendo influenciar positiva ou negativamente.

Por isso, resolvemos mostrar dicas práticas para você que pretende criar uma fachada ou reformular a mesma, de modo a buscar um melhor aproveitamento do espaço e melhor design.

O que considerar na construção da fachada do escritório?

Ok, já entendemos a importância de uma boa fachada, mas por onde começar?

Fachada para Inspiração

Existem vários pontos consideráveis na construção dela, desde componentes visuais até mesmo informacionais que podem ou não conter.

Além dos componentes físicos e a verba disponível para a mesma, claro. De toda forma, inicialmente você deverá considerar estes pontos: 

1. Código de Ética e Disciplina da OAB 

Antes de tudo, é imprescindível que o Advogado saiba o que o Código de Ética e Disciplina da OAB fala sobre a composição da fachada de escritório de advocacia.

Isso porque é ele quem determina a postura dos Advogados, dos princípios fundamentais do exercício da Advocacia, da relação do profissional com seus clientes, relação com outros profissionais, até os limites da publicidade profissional e da composição dos painéis de identificação.

Logo, os artigos em sequência que fazem jus à identificação dos escritórios e sua composição são estes:

“Art. 39. A publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão.

Art. 40, Parágrafo Único. Exclusivamente para fins de identificação dos escritórios de advocacia, é permitida a utilização de placas, painéis luminosos e inscrições em suas fachadas, desde que respeitadas as diretrizes previstas no artigo 39.”

Certo, e para entendermos de forma prática os pontos, podemos separar neste caso o Código em:

  • O que é vedado ao profissional;
  • E o que é exigido ao profissional.

Ou seja, primeiramente veda-se tudo que configura a captação direta de clientes ou mercantilização da profissão, isso podendo ser representado pelo uso de panfletos, aparições na rádio e televisão (com ressalvas) e outdoors, por exemplo.

Concomitante a isso, se exige seriedade, sobriedade e caráter informativo de todas as comunicações.

E apesar de a sobriedade ter um amplo significado, para designers e profissionais de marketing jurídico digital, compreende-se como cores, chamadas e identidade visual menos chamativas de forma geral.

Ou seja, dispensa da utilização de chamadas mercantis como “ligue já” ou “parcelamos em x vezes” e uso de cores mais frias e cruas. Nada de verde neon aqui!

Quanto ao caráter informativo, retorno à ressalva da rádio e da televisão: desde que não seja vendendo o serviço, o Advogado pode se fazer presente em tais meios, com entrevistas sobre determinados assuntos jurídicos a fim de bem orientar a população sobre seus direitos e nada mais.

Portanto, na aplicação desse tópico para a criação de uma boa fachada de escritório de advocacia, recomendam-se informações de caráter identificatório como nome, número da OAB, formas de contato e o logotipo do Advogado ou do escritório.

Além disso, torna-se de suma importância a presença de arquitetos e/ou designers especializados para melhor aproveitamento da área da fachada.

2. Paleta de Cores

A segunda dica talvez seja uma das mais visuais, que são as cores.

Isso porque as cores são o primeiro fato que observamos e notamos ao olhar para alguma direção, então optar por uma boa paleta de cores vai te auxiliar no resultado final.

Além disso, você pode utilizar cores que remetam à sua área de atuação, seguindo um padrão até mesmo para os materiais de papelaria.

Vale ressaltar que cada cor transmite sensações diferentes e têm significados diferentes, ou seja, é interessante que o Advogado pesquise tais interpretações e busque, para si, a cor que mais lhe agregue.

No mais, existem cores bem comuns na área e que, se bem utilizadas, demonstram a sobriedade que a OAB tanto preza, tais quais:

  • Preto: cor neutra, remete à elegância e força;
  • Azul-marinho: exala confiança, estabilidade e ordem;
  • Verde-musgo: forte correspondência com segurança e harmonia;
  • Vermelho bordô: significa sofisticação e satisfação;
  • Dourado: expressa nobreza, opulência;
  • Prata: remete ao prestígio e inovação.

Se você tem alguma dúvida sobre quais cores combinam mais, existe um site específico para a montagem de paletas, que é este aqui: Colors.co. Nele, você pode não só criar sua paleta quanto escolher pela que mais te agrada.

Após a escolha da paleta de cores ou seleção das cores do escritório que você deseja ressaltar em uma fachada, você passa para o próximo ponto.

3. Identidade Visual Consonante

Outro importante fato a ser visto é a necessidade de a fachada de seu escritório de advocacia estar consonante com a identidade visual como um todo. Isso envolve desde seu logotipo de Advogado até o papel timbrado, site de advogado e redes sociais.

Do que adianta ter uma fachada elegante e preta, se seu cartão é vermelho-escuro e o site azul? É dissonante.

Essas diferenças não passam despercebidas pelos potenciais clientes e refletem diretamente no ar de profissionalismo que o Advogado precisa ter. 

Além de que é interessante que o cliente identifique algo originalmente seu e automaticamente associe em outros meios de comunicação.

Por exemplo: o cliente passa pelo seu escritório, vê uma fachada azul escura com o logotipo dourado, acessa seu site com as mesmas cores e logotipo, e futuramente, ao ver alguma postagem em alguma rede social, ele já identificará a autoria pelas cores, formatos, logo e forma de escrever.

São associações que auxiliam o escritório ou Advogado a permanecerem por mais tempo na lembrança da pessoa que o visualizar.

Portanto, a Identidade Visual – ou conjunto de elementos visuais que representam algo ou alguém – deve ser apenas uma, incluindo a fachada do escritório.

Sendo então indispensável a correlação entre os componentes.

Fachada Tayrone de Melo

Em termos práticos, o que devo colocar?

Sabendo de tudo isso, podemos descrever melhor o que não pode faltar na sua fachada de escritório de Advocacia.

Logotipo

A princípio, devemos destacar a importância de um logotipo de advogado para sua fachada e o que ele muda.

Afinal, é possível que o logotipo seja o principal elemento que ficará na lembrança de todos que o virem. Nesse sentido, colocá-lo em destaque em sua fachada é indispensável.

E se você precisa criar um logotipo para sua advocacia e quer entender um pouco melhor sobre o assunto, acesse este link.

Informações 

O seu nome é essencial, mas quais dados a mais colocar?

Existem informações que se recomenda não ficar de fora do painel, tais quais: nome dos sócios – se tiver -, número de registro na OAB e a especialização do escritório se este for o caso.

Outro elemento que se adicionar é o telefone, para eventual contato.

Outras dicas de decoração

Além dos elementos necessários como nome, logotipo e sobriedade, precisamos falar sobre a coerência dentro do escritório.

De nada adianta você investir muito na fachada se o interior não condiz. Porque imagina você se deparar com um imponente prédio, com uma fachada repleta de vidros e o interior ser desorganizado e mal decorado: o sentimento será de que você foi iludido.

Ou seja, se você está planejando uma mudança, não se esqueça de cotar uma parte do investimento para manter a compatibilidade das informações visuais.

Portanto, garanta que os profissionais que você contratará para o serviço estão familiarizados com os modelos de fachadas, de design de interiores e escritórios de advocacia no geral, respeitando todas as diretrizes do Código de Ética e Disciplina da OAB.

Ademais, dependendo dos profissionais, eles buscarão por uma proposta singular, ergonômica e única para lhe ofertar.

Modelos de fachadas

Em suma, a fachada pode ser algo surpreendentemente simples ou extremamente elaborado.

O importante é que se faça com cuidado e que o Advogado esteja a par do que cada elemento pode provocar.

E pensando nessas premissas anteriores, separamos algumas fachadas para você se inspirar na hora de cotar e planejar a sua! Confira abaixo:

Fachada Gerardo Gallo Candido
Fachada Fagundes
Fachada Gimenes, D’Elboux e Lafayete
Fachada Fleury Netto
Fachada Montemor
Fachada Guarido & Junqueira
Fachada genérica
  • Escrito por
  • Gabriella Garcia
  • Analista de Marketing Jurídico Digital

Sobre o autor

Graduada em Tecnologia em Produção Multimídia. Nos últimos dois anos, trabalhou principalmente em Design Gráfico e buscou áreas do Marketing Digital para se especializar, focando na criação des textos e tráfego pago. Atualmente, é certificada pela Rock University em Produção de Conteúdo e Copywriting e pelo Google em Rede de Pesquisa.